مرحبـاً Selamat Datang Welcome Bienvenue Добро пожаловать Bienvenidos Sejam Bem-vindos

domingo, agosto 21

Evangelho alcança as áreas mais remotas da China

"Eu arrisco minha vida para alcançar os que eram considerados ‘inalcançáveis’, tendo que visitar os fieis nos lugares mais distantes que se possa imaginar
"22_China_0300100162.jpghttps://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/07/evangelho-alcanca-as-areas-mais-remotas-da-china

China: O missionário que converteu milhares de muçulmanos

O amor de Jesus pode derreter o gelo das diferenças culturais
17_China_0040003280
A história do missionário Zhang começa com uma visão: "Um dia eu estava orando e tive uma visão – uma mulher mulher estava derramando uma garrafa de óleo precioso sobre Jesus. Jesus olhou para mim e perguntou: ‘O que é mais valioso para você?’ Eu refleti e busquei a resposta do fundo da minha alma, e respondi: ‘Minha vida é o que tenho de mais valioso, e estou disposto a lhe dar. Use-a, Senhor, com o teu poder’. Esse era o meu forte desejo, me tornar um missionário e trabalhar entre os muçulmanos", revela Zhang.
"Meu primeiro contato com os muçulmanos do meu país foi durante uma viagem missionária de curto prazo, quando eu era estudante do segundo ano. Poucos anos depois de minha formatura, tive a oportunidade de participar de uma pesquisa de campo, da Portas Abertas, na China. Me deram a oportunidade de ensinar em uma escola, em um vilarejo muçulmano. A sugestão foi a de que eu não pregasse o evangelho diretamente, mas que eu apenas construisse relacionamentos e compartilhasse o amor, com respeito", lembra.
Zhang conta o quanto se surpreendeu quando um garoto muito tímido, que mal tinha falado na classe, foi para a frente e disse, ainda de cabeça baixa: "Eu não acreditava no amor, não sabia que existia, mas depois de conhecer você, eu vejo que estava errado. O amor realmente existe". Zhang relembra: "Comecei a chorar por ver que o amor transformou o coração daquele menino. Jesus pode derrubar as paredes da religião, e derreter o gelo das diferenças culturais".
Segundo Zhang, milhares de chineses muçulmanos deixam seus lares para chegar até essas escolas. "Confesso que, no início, uma parte de mim dizia que seria muito difícil viver entre os muçulmanos da China, mas no fundo eu sabia que faria um trabalho significativo, através do amor de Cristo. Deus é bom! Nós não somos super-heróis para salvar o mundo, mas somos filhos de Deus e só precisamos fazer o nosso trabalho", comenta Zhang e finaliza: "Meu objetivo é ajudá-los a crescer, para que um dia, eles possam impactar suas próprias comunidades".

sábado, agosto 20

PARA SEMPRE - ETERNAMENTE NA GALERIA DOS HERÓIS DE DEUS!!!

MEU ATLETA PREDILETO!!!!!!

HERÓI DA FÉ - "Aquele que me honrar, eu o honrarei..."
HERÓIS QUE MARCARAM A HISTÓRIA


Ele será lembrado por mim...


Think about it, Mr Bolt...

VALE LEMBRAR - QUE TUDO NESTA VIDA É PASSAGEIRO
'Estou orgulhoso de mim mesmo, sou o maior', diz Usain Bolt após nono ouro, mas o maior dos maiores será sempre rei dos reis e senhor dos senhores - JESUS CRISTO - O NÚMERO UM DA VIDA ETERNA QUE HÁ DE VIR.

VERDADEIROS HERÓIS...



quinta-feira, agosto 18

ISLÃ - RELIGIÃO DE INTOLERANTES E INIMIGOS DO BEM

Por que deixei o Islã

Texto de Waleed Al-Husseini. Link para o original (2010) Imagem destacada: demônio islâmico (djin).
Os muçulmanos frequentemente me perguntam por que deixei o Islã. Curioso é que eles parecem não entender que renunciar o Islã é uma escolha oferecida a todos e que qualquer pessoa tem esse direito. Eles pensam que todo mundo que deixa o Islã é um agente ou um espião de um Estado Ocidental, chamado Estado de Israel, e que recebem somas em dinheiro dos governos de países ocidentais e seus serviços secretos. Eles realmente não acreditam que as pessoas são livres para pensar e acreditar no que é melhor para elas.
Antes que eu comece, gostaria de enfatizar que ao escrever este artigo, não quis implicar que o Cristianismo ou o Judaísmo são melhores que o Islã, e o leitor não deve se enganar pensando que eu rejeito apenas o Islã entre as religiões, pois para mim todas as religiões são lendas enganadoras do cérebro e um monte de bobagens que competem umas com as outras em termos de estupidez.
Aqui está uma lista de motivos que me levaram a apostasia:
O Islã é uma religião de tolerância?  
O Islã é uma religião autoritária que não respeita as escolhas individuais da pessoa, o que é facilmente verificável pelas suas sentenças bárbaras tais como apedrejamento de adúlteros, atirar homossexuais de despenhadeiros e matar os apóstatas por ousarem expressar um ponto de vista diferente. Depois disso segue o destino dos membros de outras religiões nos países islâmicos. O Islã comanda que seus seguidores lutem contra os infiéis até que se convertam ou concordem em pagar uma taxa chamada de “Jizya” por cabeça, em total submissão. Os textos sagrados do Islã também encorajam guerras flagrantes e a conquista de novos territórios para espalhar a religião de Maomé, ao invés de usar métodos pacíficos para transmitir a mensagem, e usar um esquema argumentativo racional, coisa que o Islã – bem como as outras religiões- carece. É simplesmente um insulto aos valores humanos e uma prova de demência sem precedentes.
O Islã é a religião da igualdade?
O Islã apresentou a tribo dos coraixitas como “a escolhida” para reinar sobre a raça humana. Maomé não concedeu uma só responsabilidade social para alguém que não fosse de sua tribo. O Islã legitimou a escravidão, reforçou as classes sociais e legitimou o roubo dos bens dos infiéis, da posse das mulheres como cativas (Sabaya) durante as guerras e o abuso sexual de tais cativas (Ima’a). Também tem provocado dano às relações maritais com as leis do dote (Mahr) e do divórcio, transformando assim a relação do matrimônio em uma transação comercial.
O Islã é uma religião de justiça social?
Alguns dos princípios mais ultrajantes do Islã são a pilhagem e o roubo, bem como a exploração das pessoas pelo sistema de taxação chamado Al-Jizya. O Islã reconheceu a desigualdade social ao impor o Zakat, de acordo com o seguinte ditado: “um homem rico e grato é melhor do que um homem pobre e paciente”.
O Islã foi justo com as mulheres?
Uma mulher no Islã tem menos razão e menos fé. Ela distrai as orações, do mesmo jeito que os burros e cachorros pretos; e é considerada impura durante a menstruação. A ela deve ser dada apenas a metade da herança de um homem e seu testemunho nos tribunais de justiça vale a metade.
O Islã a coloca sob a guarda do marido e implicou que a aprovação de Deus se dá pela obediência a ele. Um homem também tem o direito de corrigir sua mulher batendo nela e/ou deixando o leito marital se ela se recusar a se submeter a suas vontades.
Ela não tem escolha quando se trata de satisfazer seus desejos sempre que ele quiser, sem levar em conta seus sentimentos e desejos. Não sou feminista e não sou daqueles que defendem as mulheres com ardor contra as inúmeras formas de injustiça que elas sofreram por séculos por causa da religião, mas eu tenho uma mãe, uma irmã e uma companheira, e eu não posso aceitar que sejam humilhadas e estigmatizadas de maneira tão horripilante. Elas são preciosas para mim e eu as amo muito para trata-las dessa maneira asquerosa e falha, e que desmascara as pretensões do Islã ser uma religião de igualdade e liberdade!
O Islã e a criatividade humana.
Todas as formas de expressões artísticas são banidas no Islã: a música, o canto, a dança, a pintura, a escultura, o teatro e também a literatura, a poesia e o uso da lógica! Se você acha difícil de acreditar, eu convido você a conferir as fontes islâmicas, bem como as frases de Maomé, para ter certeza de que eu não estou exagerando e que estou dizendo a mais absoluta verdade.
O Islã e a ciência.
O Islã é rico em alegorias, começando com o mito dos Oráculos (a palavra de Deus comunicada a Maomé via anjo Gabriel), por todo o caminho chamado de Jornada Noturna e Ascensão, quando Maomé supostamente ascendeu aos céus nas costas de um fantástico animal chamado “Burâaq”, voando na velocidade da luz, para finalizar com as mirabolantes histórias que ninguém testemunhou e que nenhuma civilização registrou em seus arquivos históricos, e nem mencionou os fatos que poderiam corroborar essas alegações.
O Islã é assim baseado em fé cega que cresce e domina a mente das pessoas onde há irracionalidade e ignorância. Se essa ideologia tinha métodos de persuasão apelando para a lógica e a razão e abordou cada aspecto da vida humana, como nós os ex-muçulmanos somos ensinados a crer desde o princípio, por que então precisa recorrer a essas histórias malucas para provar sua precisão e apoiar suas ideias? Não é essa a atitude dos mentirosos e dos impostores? Não se esqueçam da contradição flagrante entre os textos sagrados e as verdades científicas básicas, tais como dizer que a Terra é fixa e que o céu fica suspenso acima do solo sem ser sustentado por nenhuma pilastra, e que os meteoritos foram feitos com o propósito de apedrejar os demônios que espiam de cima o que os seres humanos estão fazendo.
Os milagres científicos do Alcorão.
Nós os ex-muçulmanos conhecemos todos os absurdos, as falcatruas e as burlas dos sheikhs que dizem existir milagres científicos no Alcorão, e eu acho bom perguntar por que essas pessoas fabricam uma mentira colossal depois da outra em torno da religião.
A resposta é simples: somente uma teia de mentiras é capaz de perpetuar outra mentira. O Islã não pode se segurar frente a ciência que revela seu mito e sua inegável fraqueza, tal como afirmar que a Terra é plana e que duas pessoas que mamam no seio de uma mesma mulher se tornam parentes biológicos.
Tais pessoas protegem o Islã de passar da moda e perecer desesperadamente tentando reconciliá-lo com a ciência usando o engano e a distorção. Se o Islã fosse uma religião divina e uma mensagem vinda do criador do universo, seria esse objeto de escárnio da ciência e alvo de ilimitadas críticas?
O deus islâmico
Ele é um deus beduíno, primitivo e antropomórfico, o qual tem suas características derivadas do ser humano e experimenta sentimentos de raiva, vingança, ressentimento, superioridade, etc.
A imagem do deus que foi descrita nos textos sacros islâmicos reflete bem a civilização humana, como o trono majestoso carregado pelos anjos, em que ele assentou quando terminou o processo de criação, que nos traz a mente o ritual do Honga-Bonga feito com o chefe da tribo.
Pior ainda é que algumas ações humanas tais como homossexualismo podem fazer este trono magnífico tremer. Aqui está um Hadith que chamou minha atenção: “qualquer trabalho feito pelos filhos de Adão é da conta deles, exceto o jejum, que é da minha conta e eu dou sua recompensa”.
A pergunta que me atormenta é esta: que prazer pode o todo poderoso deus achar nessas pobres pessoas que o adoram? Que benefício isso faria a ele?
O profeta do Islã e o Alcorão.
Maomé não era diferente de um bandido bárbaro que massacrava, roubava e estuprava mulheres. Há muitas provas nas Sunnas, eu convido você a fazer esse dever de casa (de ler) antes de me acusar de mentir tão somente pelo propósito de danificar a imagem do profeta do Islã. Ele era um maníaco sexual, e contornava as leis que promulgava para aquietar seu apetite voraz. Ele dividiu a humanidade e aprisionou a nação com leis retrógradas de um beduíno arcaico. Ele não fez nenhum milagre que pudesse provar sua habilidade profética; tudo que ele tinha era um livro que mostrava semelhanças com a poesia de seus contemporâneos, cheio de erros científicos e dilemas filosóficos.
Conclusão: eu provavelmente teria que escrever um livro inteiro para falar de maneira suficiente sobre as razões que me levaram a renunciar o Islã como religião, mas esses poucos itens listados são as coisas mais importantes que me intrigaram e me levaram a repensar a essência do corolário da fé que, como qualquer outra religião, é uma ideologia mitológica a serviço da política.
___________________
Waleed Al-HusseiniSobre o autor: Waleed Al-Husseini  é um ex-muçulmano palestino e blogueiro ateísta. Já foi preso sob a acusação de blasfêmia contra o Islã e sua prisão chamou a atenção internacional. Depois de ser torturado uma vez e passar 10 meses preso, Waleed Al-Husseini conseguiu fugir para a França, onde pediu asilo e vive até hoje.

domingo, agosto 7


UM DIA VAI CHEGAR A NOSSA VEZ.. 
PORQUE ESTAMOS COBERTOS PELO SANGUE DO CORDEIRO Pobres e ricos, fracos e fortes, grandes e pequenos, honrados ou desprezados, lembrados ou esquecidos...
E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. 1 Coríntios 9:25
Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. 2 Timóteo 4:8

terça-feira, agosto 2

As diferenças entre o joio e o trigo

As diferenças entre o joio e o trigo

Não fomos chamados por Deus para
 vivermos num mosteiro, isolados de
 tudo e todos, mas para vivermos neste
 mundo iluminando e abençoando as
 pessoas que nos cercam. Joio significa
 coisa daninha que surge entre as boas
 e as tentam corromper.
Jesus nesta parábola narrada em Mateus 13:24-30 
nos diz que um homem semeou boa semente no seu
 campo. Mas, enquanto os homens dormiam, veio o
 inimigo dele e semeou o joio no meio do trigo e retirou-se.
Nas igrejas hoje existem muitos problemas, por causa do joio.

 Quais as diferenças entre o joio e o trigo?
1)   O trigo é o povo de Deus. O joio é

 o povo do diabo. (V. 25)
2)   O povo de Deus crê em Deus e anda

 em seus caminhos, ama ao Senhor Jesus
 de todo coração, crê no sacrifício de Jesus
 na cruz como seu substituto. O joio é
 totalmente contrário a estas verdades e
 está longe de Deus. Foi colocado no 
meio do trigo para os destruir.
3)   O trigo possui a essência o joio a 

aparência. (V.26-29)
4)   O trigo produz muito frutos e alimenta

 as pessoas. O joio não produz nada.
 É inútil e se ingerido é como veneno,
 é nocivo ao homem. O trigo produz fruto
 do amor, alegria e paz. O joio produz ódio,
 depressão e perturbação. O trigo produz 
fruto de longanimidade, benignidade e bondade. 
O joio produz impaciência, malignidade e perversidade. 
O trigo produz fruto de fidelidade, mansidão e
 domínio próprio. O joio produz infidelidade,
 rixa e desgraça na vida.
5)   O trigo será colocado celeiro de Deus e 

o joio será queimado no inferno.
Quem separa é Deus, por que o joio e o trigo

 são muito parecidos e só Jesus sonda os 
orações e sabe quem é quem. Ninguém 
foge do seu reto juízo.
O trigo é maleável e se curva com facilidade,

 o joio é muito rígido e não se curva nunca.
 O trigo quanto mais maduro mais fácil de colher.
 O joio fica mais enraizado, mais difícil de ser colhido. 
O lugar do trigo é no celeiro, o do joio é no fogo,
 pois não tem utilidade, faz mal, é um engano
 assim como era a figueira que Jesus amaldiçoou.
Muitas vezes o joio é plantado em nossas vidas 

e em nossas igrejas quando, descuidamos,
 temos falta de disciplina, damos lugar ao 
espírito mundano, enfraquecemos moralmente
 e somos negligentes. Aí nós nos tornamos, 
presos ao mundo, soberbos, indisciplinados, 
prejudicados com o veneno que o joio possui.
Esta parábola de Jesus é uma demonstração 

muito grande do seu amor e misericórdia a
 todos os homens. Jesus queimou o joio 
para não queimar as pessoas que tem a 
oportunidade de aceitar a mensagem
 de advertência.

Deus o abençoe

O FIM DOS MORNOS… (Parte 1)
Por Markus DaSilva, Th.D.
Há mais de 30 anos, aceitei a Jesus como meu Salvador em uma pequena igreja batista no interior de Minas. Antes desse dia, eu já sabia que se tomasse tal decisão teria que haver uma mudança radical na minha vida, envolvendo lazer, vícios, amizades, namoro e até profissão. Sem ninguém ter me alertado, no meu coração eu já sabia dessas coisas. Isso é fato. Pergunte qualquer adulto, não convertido, e ele lhe dirá (se for honesto) que realmente teria que abandonar certas práticas se aceitasse a Jesus. No seu íntimo, ele já sabe que o mundo onde se encontra e o mundo que Deus oferece são incompatíveis, assim como luz e trevas (2 Co 6:14). O Senhor coloca esse conhecimento básico nas suas criaturas para que a decisão de O seguir seja consciente e não às cegas. Se alguém não está disposto a pagar o preço do discipulado, é melhor que fique de fora (Lc 14:25-34).
Sabemos muito bem que a maioria dos seres humanos não querem se envolver com as coisas de Deus, ponto final (Mt 22:14). Sabemos também que um grupo pequeno segue a Jesus em amor e obediência. Fortalecidos por sua maravilhosa graça, esses aguardam a vinda do Senhor com alegria (2 Tm 4:7). Esse texto não é sobre nenhum desses dois grupos, mas sim sobre um terceiro. Esse é um grupo que imagina ser possível seguir a Jesus sem ter que aceitar a parte que não gostam. Eles racionalizam, argumentando que quando Jesus diz que temos que perder a nossa própria vida para segui-lo (Lc 14:26), Ele se refere ao coração e não ao mundo físico. Dizem coisas como: “Isso não tem nada a ver. O mundo foi feito para nós. Deus conhece o meu coração”! E assim seguem, ignorando as palavras de Jesus, abusando da graça, e vivendo uma vida às vezes mais mundana do que a de muitos mundanos.
Querido, espero que você não esteja nesse grupo, pois esses são os mornos; nem frios nem quentes, os quais muito em breve serão vomitados pelo Senhor (Ap 3:15). São esses que naquele dia insistirão com Jesus que faziam parte do seu povo, apesar de não terem produzido frutos de arrependimento e santificação; foram arvores inúteis e apenas ocuparam terreno. Serão assim cortadas e lançadas ao fogo (Mt 7:19-21).
Amado, imploro que não seja um tolo, imaginando que o chamado de Jesus para uma vida completamente dedicada a Ele não tem mais valor. Nada mudou. Suas palavras são tão válidas hoje como foram quando ainda as falava. Você não pode possuir esse mundo e o céu: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará.” (Mc 8:34-35). Mais claro que isso é impossível. Não existe salvação para os amantes dessa terra. Espero te ver no céu. —Markus DaSilva
Leia também: O Fardo Pesado. (Desânimo, insegurança, cansaço e depressão)
br.markusdasilva.org/o-fardo-pesado-desanimo-inseguranca-ca…
Florida, USA. July, 2016
© Copyright 2012-2016 by Markus DaSilva - All rights reserved.
Receba os textos do Dr. Markus DaSilva assim que forem publicados:br.markusdasilva.org/receba-nossos-artigos-gratis

INFELIZMENTE ISSO TAMBÉM ACONTECE NO MEIO CRISTÃO. TIRE SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

Metade porco, metade ovelha:
Será que isso é verdade?
Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus. Tg 4:4


O bicho parece um cruzamento de ovelha com porco.
O corpo é de ovelha, mas a cara é de porco.
 A gente sempre fica em dúvida, porque não
 podemos negar que os avanços genéticos são
 extremamente eficientes. Além disso, hoje
 em dia, os grandes especialistas em PhotoShop

 fazem híbridos virtuais com muita perfeição
Mas não é nada disso. O “porco-ovelha” existe mesmo,
 mas de híbrido não tem nada! É um animal verdadeiro
 sem transgenia, sem devaneios genéticos. Trata-se de
 uma espécie de porco peludo chamada de Mangalitsa,
 que na verdade não apresenta nenhum DNA de ovelha,
ele é assim mesmo. Ao contrário dos nossos porquinhos
 pelados aqui da América, o porco peludo é originado
 na região Austríaca e na Hungria, onde o inverno é
 extremamente rigoroso e a pelagem protege esses
animais nos dias gelados. O mangalitsa é o resultado
 do cruzamento de várias raças daquela região há
mais de um século. Esses animais não possuem

 muita carne e por isso os criadores não investem em sua criação.
O FRACASSO DOS FRACASSOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FIQUE POR DENTRO