مرحبـاً Selamat Datang Welcome Bienvenue Добро пожаловать Bienvenidos Sejam Bem-vindos

quinta-feira, maio 27

IMPULSOS DA BONDADE!


Como cristãos, precisamos reconhecer de uma vez por todas, e com urgência, que o nosso mundo não é esse. Vivemos aqui! Trabalhamos aqui... Respiramos o mesmo ar, sofremos, lutamos, sentimos tristeza e choramos e temos nossas alegrias. Vivemos para Deus, vemos Seus milagres,cortamos o dedo, ( envelhecemos quando dá tempo) mas o nosso passaporte não tem visto permanente. Pensem os incrédulos o que quiserem - somos cidadãos de outra pátria. E a nossa esperança está para se concretizar. Eu chorei ontem, com a notícia do garoto de 19 anos, morto por um louco, que não sabe para o que está vivendo. E a menina de oito anos? Estamos vivendo num manicômio chamado "Terra". Muitos desconhecem que o "salário do pecado é a morte" e estão fazendo tudo como o diabo gosta. O verdadeiro cristão não se conforma com o mundo, não se amolda a ele. Vive numa guerra sem fronteiras. Deve fazer sua parte para amenizar o sofrimento da humanidade. Não deve resistir aos impulsos da bondade. Não pode resistir à voz de Deus, que o envia como soldado para o campo de batalha da necessidade. Eu não quero ser um cristão medíocre. E para agirmos como o Senhor deseja, precisamos muitas vezes e sempre, negarmos a nós mesmos. E isso não é nada fácil. Negamos a nós mesmos, quando abrimos mão de um conforto que seria nosso para investir no reino de Deus. Façamos isso, com a máxima urgência!

segunda-feira, maio 17

FILMETES - PORTAS ABERTAS

video

video

NÃO EXISTEM GIGANTES DA FÉ, MAS SIMPLES MORTAIS USADOS POR DEUS!!!!!!

Fazer missões, não é uma iniciativa nossa, propriamente dita, mas do Deus Todo Poderoso, que investe em vidas e as transforma, conduzindo-as como vaso escolhido para levar a Sua Palavra até os confins da Terra. Portanto, mérito tem ninguém, pois quem toma sempre a iniciativa é o nosso Senhor, que rico em misericórdia, nos usa para lançar a sua semente. Não creio existirem "Gigantes da Fé" - Deus é que cumpre seus planos e efetua tanto o "querer" nas pessoas, como o "realizar" conforme a "SUA" vontade. Não temos do que nos gloriar. Absolutamente. Por isso, Deus tem autoridade ATÉ para galardoar aquele que pouco fez pela sua causa, pois "Tudo vem dEle".

Meditemos sobre estas verdades contidas na Parábola a seguir:

PARÁBOLA DOS TRABALHADORES DA VINHA OU PARÁBOLA DOS TRABALHADORES DA ÚLTIMA HORA OU PARÁBOLA DOS TRABALHADORES DAS DIVERSAS HORAS DO DIA

"Porque o Reino dos Céus é semelhante a um proprietário, que saiu de madrugada a assalariar trabalhadores para a sua vinha. E feito com os trabalhadores o ajuste de um denário por dia, mandou-os para a sua vinha. Tendo saído cerca hora terceira, viu estarem outros na praça desocupados, e disse-lhes: Ide também vós para a minha vinha, e vos darei o que for justo. E eles foram. Saiu outra vez cerca da hora sexta, e da nona, e fez o mesmo. E cerca da undécima, saiu e achou outros que lá estavam e perguntou-lhes: Por que estais aqui todo o dia desocupados? Responderam-lhe: Porque ninguém nos assalariou. Disse-lhes: Ide também pra a minha vinha.À tarde, disse o dono da vinha ao seu administrador. Chama os trabalhadores e paga-lhes o salário, começando pelos últimos e acabando pelos primeiros. Tendo chegado os que tinham sido assalariados cerca da undécima hora, receberam um denário cada um. E vindo os primeiros, pensavam que haviam de receber mais; porém, receberam igualmente um denário cada um. Ao receberem-no, murmuravam contra o proprietário, alegando: Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os igualaste a nós, que suportamos o peso do dia e o calor extremo!. Mas o proprietário disse a um deles: Meu amigo, não te faço injustiça; não ajustaste comigo por um denário? Toma o que é teu e vai-te embora, pois quero dar a este último tanto como a ti. Não me é licito fazer o que me apraz do que é meu? Acaso o teu olho é mau, porque eu sou bom? Assim os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos".

O que temos para oferecer de nós mesmos? Nada! Absolutamente, NADA! Somos apenas "caco" entre outros "cacos".

domingo, maio 16

HUMOR - Coisa de Lisboa

Se contar, ninguém acredita...

Primeiro olhem a foto. Se não perceberem nenhuma anormalidade, leiam o texto abaixo.


Se contarmos, ninguém acredita!!!

Esses homens estão instalando pilares de ferro numa calçada de concreto em Lisboa (pq Lisboa?) , para impedir o estacionamento de carros em frente a um bar.
No flagrante desta foto, eles estão limpando e terminando o trabalho.
Olhe atentamente a foto e responda à pergunta abaixo:
Quanto tempo você acha que vai levar para eles perceberem onde está estacionado o furgão deles?





Mário Fco. Miranda

Castro-Pr

sexta-feira, maio 14

EMAILS QUE RECEBO

O Livro - O Homem do Céu, expõe com simplicidade a trajetória de uma vida.
Um livro para nos confrontar. Confrontar o nosso Cristianismo, muitas vezes vazio e cheio de blá,blá,blá. Nós, os ocidentais cheios de cultura, cheios de conhecimento , muitas vezes onoperante e destituído de piedade.

Além do anexo, FORA DE SÉRIE, encaminho trechos
do livro "O irmão Yoo" que recomendo a todos,
principalmente para Nathália.
Beijos,
Martha


Li (2004) e copiei os trechos mais significativos deste livro totalmente cheio de vida . De princípio quis parar de ler, era sofrimento demais, e eu já estava me sentindo uma formiga perto desse gigante usado por Deus.

Mas insisti e vejo o quanto Deus queria falar comigo através desse exemplo de fé e coragem, desprendimento e amor a Jesus, acima de tudo.

Abaixo copio alguns dos meus favoritos me senti realmente OCIDENTAL, só querendo as bênçãos, só no conforto, longe da Missão.



Pg. 13 – Não somos absolutamente nada. Não temos nada de que nos orgulhar. Não possuímos habilidades nem coisa alguma a oferecer a Deus. O fato de ele decidir nos usar decorre unicamente de sua graça. Não é mérito nosso. Não poderíamos nem pensar em nos queixar se ele resolvesse levantar outras pessoas para cumprir seus propósitos, sem nunca mais nos usar.

Pg. 96 – Aprendi a verdade literal do ensinamento de Jesus “Não só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus.” Mt.4:4

Pg. 184 – Tinha passado por tantas experiências nos últimos 4 anos, e Deus permanecera fiel. Havia sofrido torturas horríveis, e Deus permanecera fiel. Fora arrastado diante de juízes e tribunais, e Deus permanecera fiel. Sentira fome, sede e desmaiara de exaustão, e Deus permanecera fiel. Através de tudo Deus sempre foi fiel e amoroso. Nunca me deixou ou me abandonou. A graça dele foi sempre suficiente, e ele providenciou tudo de que precisei.

Eu não sofri na prisão por Jesus. Não ! Eu estava com ele e experimentei sua presença, alegria e paz verdadeira a cada dia. Os que sofrem não são os que estão presos por causa de Jesus, mas aqueles que nunca desfrutaram da intimidade da presença de Deus.

Pg. 277 – Não ore pelo fim da perseguição! Não devemos pedir carga mais leve, e sim costas mais fortes! Então o mundo verá que Deus está conosco...

Pg. 285 – No Ocidente vejo templos belíssimos, possuem equipamentos caros, carpete macio e sistema de som de última geração. Posso afirmar, sem sombra de dúvidas que a igreja Ocidental não precisa construir nem mais um único templo sequer. Edifícios nunca trarão avivamento...”A vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui” Lc. 12:15

A igreja Ocidental precisa voltar à Palavra de Deus, o que liberta é a verdade. Falta conhecimento e obediência. Vejo pouca gente agindo.

Quando o avivamento aconteceu na China, o resultado foi milhares de evangelistas enviados a todos os cantos levando o fogo do altar de Deus com eles. Quando o Senhor se move no Ocidente parece que as pessoas querem parar e desfrutar da presença e das bênçãos dele por tempo demais. Uma pessoa só conhece as Escrituras de verdade quando permite que elas transformem sua vida. Quando Deus move o coração de uma pessoas, ela não consegue permanecer calada. Jer. 20:9

Pg. 286 – Tenho visto, nas Igrejas Ocidentais, pessoas adorando como se já estivessem no céu. Depois, invariavelmente, alguém transmite uma mensagem de consolo como :” Meus filhos, amo vocês. Não temam, estou com vocês”.

Não me oponho a essas palavras, mas parece estranho ninguém nunca ouvir do Senhor : “ Meu filho, quero envia-lo às favelas da Ásia ou às regiões tenebrosas da África...” Multidões de membros das Igrejas Ocidentais se satisfazem em dar o mínimo, e não o máximo, a Deus. Até nas ofertas eles são comedidos, na China quando um obreiro era apresentado para ir ao campo e era levantada uma oferta, tirávamos TUDO do bolso e doávamos. E normalmente esse dinheiro era tudo que tínhamos, não apenas nos bolsos. Falo de corações ardendo de desejo de estabelecer o reino de Deus nas áreas mais carentes.

Pg. 321 – Alguns homens passam a vida fora da cadeia, mas depois enfrentam a prisão eterna no inferno. Vocês estão presos nesta vida, mas, a partir do dia que receberam o Senhor, o nome de cada um está escrito no céu, e vocês estão livres!

Pg. 323 – Foram dias maravilhosos, repletos da presença de Deus, e, para ser sincero, eu nem me sentia preso. Poucas vezes pensava na sentença de 7 anos, e os dias eram cheios de vida e alegria. Pensava nos 7 anos como Jacó quando esperava por Raquel: “Assim , por amor a Raquel, serviu Jacó 7 anos; e estes lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava.” (Gn. 29:20)

Pg. 324 – Jesus me ensinou muitas lições enquanto eu estava enterrado na prisão como semente. Descobri que a vida cristã não é atraente para a carne. A semente que vai para o solo não fica confortável. Permanece isolada na escuridão, no solo áspero, durante vários meses. Sofre no chão congelado no inverno e sente calor no verão. É até coberta com esterco e fertilizante de mau cheiro. Só depois que suporta em silêncio todas essas provações é que a semente fica pronta para brotar para a vida e produzir uma colheita que alimentará a muitos. A única opção que a semente enterrada no solo tem é esperar pacientemente o tempo de Deus para brotar para a vida. Eu sabia que só seria solto quando chegasse o tempo dEle.

Pg. 330 – Não somos chamados para viver segundo o raciocínio humano. Só o que importa é obedecer à Palavra de Deus e à orientação dele para nossa vida. Se ele mandar ir, iremos. Se disser para ficar, ficaremos. A vontade dele é o lugar mais seguro deste mundo.

COISA DE MARXISTA DESCONTROLADO?

Até hoje não consigo entender a posição; tanto dos conservadores de direita, como dos extremistas de esquerda. Essas duas posições, ainda não me querem dizer absolutamente "NADA".
Não entendo, como separar ideologia, de prática cotidiana do amor cristão. Isso porque não entra na minha cabeça, a pessoa que se diz cristã, mas que no seu entender de "ajudar o próximo" de "AMAR AS PESSOAS" não tenha nada a ver com abrir mão de seu conforto pessoal a favor de um necessitado material.
Não consigo entender - que se eu abrir mão do material - estarei sendo socialista ou marxista!!!!!!!????????
Penso que deveríamos ter uma Bíblia para "Todos os gostos"
Primeiro abordaríamos a canonicidade do livro de Atos, porque me parece, que ele tem muita conotação socialista e marxista. "Ter tudo em comum" seria uma prática socialista? Então, meus amigos, vamos jogar o livro de Atos no lixo. Também alguns versículos do livro de Tiago, pois dizer que a fé sem obras é morta, deve ser coisa de marxista descontrolado.
Medito na exploração inescrupulosa de certas igrejas pentecostais, elas existem, mas não abro mão de que a Palavra de Deus seja enfática em dizer que não devemos acumular tesouros na terra e sim no céu.

UM EXEMPLO A SEGUIR


A TRANSFORMAÇÃO OCORRIDA NA VIDA DE PAULO

* De perseguidor da igreja a perseguido por causa do evangelho
* De perdido a encontrado sobrenaturalmente
* De sábio segundo o mundo a ignorante por amor a Cristo
* De fariseu indomável a missionário abnegado
* De afrontador a afrontado
* De cruel impassível a amoroso conselheiro
* De escravo de satanás a prisioneiro de Cristo
* De religioso soberdo a humilde servo de Deus
* De incrédulo a corajosamente cheio de fé
* De increnqueiro a pacificador
* De forte nas mãos do diabo a um fraco usado poderosamente nas mãos de Deus
* De criminoso a lavado e redimido pelo sangue de Jesus
* De cidadão romano a cidadão dos céus.

PÉROLAS EM FORMA DE FRASE

A fraqueza é o ponto de partida, de um ponto final de conquistas abençoadas...
Anónimo

O quebrantamento deve substituir o orgulho, para que o orgulho não o substitua...
Anônimo

Você pode morrer sem um tostão no bolso, mas se viveu para Deus e pelos outros, voce não perdeu absolutamente nada.

segunda-feira, maio 10

FILMES DE MISSÕES

video

video video

JUSTIÇA SOCIAL MAL ESTENDIDA


É aquela que não tem ido além do meu círculo de satisfação pessoal.
Admira-me, ver com que leviandade as pessoas usam as palavras "Justiça Social", até mesmo no meio cristão. Justiça Social é muito mais do que soma de treze letras... É muito mais do que um "Slogan" de propaganda promocional. Infelizmente, a junção dessas duas palavras, estão aquém da vivência cotidiana das pessoas. Uma propaganda falsa dos verdadeiros ideais propostos por Jesus. Justiça social começa dentro do âmbito familiar. Vai além das fronteiras do lar. Rompe barreiras favela X condomínio de luxo. Vence o egoísmo dominante na esfera religiosa de nossos dias. Falar de justiça social, sem negar a si mesmo é totalmente contraditório. Acho uma hipocrisia sem limites, o cristão que levanta esta bandeira, mas ignora os irmãos que estão ao seu lado, precisando de ajuda. O cristão que levanta esta bandeira,mas está mais preocupado com o sobe e desce da bolsa de Valores, que ajudar uma criança órfã. O ano passado, eu e meu marido, compramos um DVD, sim, um simples DVD e demos para uma família cristã de nossa igreja, que precisava dele para os seus cultos de evangelismo em casa; e eu sei que isso é muito pouco (um mísero exemplo), mas o que cada um de nós tem feito acerca de sua "Justiça Social" além da própria cerca?
Se a nossa visão de justiça social, não cria pernas, nosso discurso, não passa de um blá, blá, blá inútil. Vejo esse blá, blá, blá sendo oferecido como um prato cheio em muitos blogs, mas não passa de pão véio, estragado, cheio de bichos. Posso estar enganada. Torço para estar enganada. Mas tem muito cristão vivendo para si mesmo. Esbanjando uma prosperidade egoísta e alienada, destituída de compromisso social. Fico torcendo para que a lista dos anônimos, criativos e sinceramente comprometidos com o próximo, esteja acima das minhas expectativas. Quero pensar que a lista dos que fazem alguma coisa por este país, seja extensa e significativa, acolhedora e sensível.
A primeira milha não é tão difícil de seguir. A segunda milha, é a milha da renúncia, do amor sacrificial, do amor ágape. Essa é que glorifica o nome do Senhor. É essa milha, que faz toda a diferença no reino de Deus. A "Justiça Social", para ser verdadeira e dígna de ser seguida, deve andar de mãos dadas com a "Segunda Milha" de Jesus.

quarta-feira, maio 5

PÉROLAS EM FORMA DE FRASE

As ações do homem são os melhores indicadores de seus princípios.
Stephen Charnock

Amor é mais serviço do que sentimento.
John R. W. Stott

O mundo está repleto das ruínas do que eros prometeu mas não foi capaz de fornecer.
Jill Briscoe

O amor tem dois encargos principais: um é dar, o outro, perdoar.
John Boys

Seja o que for o amor, ele não é passivo.
Frederick Sampson

Se você quer fugir de Deus, o diabo lhe emprestará tanto as esporas como o cavalo.
Thomas Adams

Um problema que um ateu enfrenta é que ele não tem com quem conversar quando está
só.
Anônimo

VALE A PENA!!!!!!

O HOMENZINHO DA RUA GEORGE

Tudo começou há alguns anos em uma Igreja Batista que se reúne no Palácio de Cristal ao sul de Londres. Estávamos chegando ao final do culto dominical quando um homem se levantou em uma das últimas fileiras de bancos, ergueu sua mão e perguntou: ‘Pastor, desculpe-me, mas será que eu poderia dar um rápido testemunho?’ Olhei para meu relógio e concordei, dizendo: ‘Você tem três minutos!’ O homem logo começou com sua história:
“Mudei-me para cá há pouco tempo. Eu vivia em Sydney, na Austrália. Há alguns meses estive lá visitando alguns parentes e fui passear na rua George. Ela se estende do bairro comercial de Sydney até a área residencial chamada Rock. Um homem baixinho, de aparência um pouco estranha, de cabelos brancos, saiu da entrada de uma loja, entregou-me um folheto e perguntou: ‘Desculpe, mas o senhor é salvo? Se morrer hoje à noite, o senhor irá para o céu?’ Fiquei perplexo com essas palavras, pois jamais alguém havia me perguntado uma coisa dessas. Agradecí polidamente pelo folheto, mas na viagem de volta para Londres eu me sentia bastante confuso com o episódio. Entrei em contato com um amigo que, graças a Deus, é cristão, e ele me conduziu a Cristo.”
Todos aplaudiram suas palavras e deram-lhe as boas-vindas, pois os batistas gostam de testemunhos desse tipo.
Uma semana depois, voei para Adelaide, no sul da Austrália. Durante meus três dias de palestras em uma igreja batista local, uma mulher veio se aconselhar comigo. A primeira coisa que fiz foi perguntar sobre sua posição em relação a Jesus Cristo. Ela respondeu:
“Morei em Sydney por algum tempo, e há alguns meses voltei lá para visitar amigos. Estava na rua George fazendo compras quando um homenzinho de aparência curiosa, de cabelos brancos, saiu da entrada de uma loja e veio em minha direção, ofereceu-me um folheto e disse: ‘Desculpe, mas a senhora já é salva? Se morrer hoje, vai para o céu?’ Essas palavras me deixaram inquieta. De volta a Adelaide, procurei por um pastor de uma igreja batista que ficava perto de minha casa. Depois de conversarmos, ele me conduziu a Cristo. Assim, posso lhe dizer que agora sou crente.”
Eu estava ficando muito admirado. Duas vezes, no prazo de apenas duas semanas, e em lugares tão distantes, eu ouvira o mesmo testemunho. Viajei para mais uma série de palestras na Mount Pleasant Church em Perth, no oeste da Austrália. Quando concluí meu trabalho, um ancião da igreja me convidou para almoçar. Aproveitando a oportunidade, perguntei como ele tinha se tornado cristão. Ele explicou:
“Aos quinze anos vim a esta igreja, mas não tinha um relacionamento real com Jesus. Eu simplesmente participava das atividades, como todo mundo. Devido à minha capacidade para negócios e meu sucesso financeiro, minha influência na igreja foi aumentando. Há três anos fiz uma viagem de negócios a Sydney. Um homem pequeno, de aparência estranha, saiu da entrada de uma loja e me entregou um panfleto religioso – propaganda barata – e me fez a pergunta ‘Desculpe, mas o senhor é salvo? Se morrer hoje, o senhor vai para o céu?’ Tentei explicar-lhe que eu era ancião de uma igreja batista, mas ele nem quis me ouvir. Durante todo o caminho de volta para casa, de Sydney a Perth, eu fervia de raiva. Esperando contar com a simpatia do meu pastor, contei-lhe a estranha história. Mas ele não concordou comigo de forma alguma. Há anos ele vinha me incomodando e dizendo que eu não tinha um relacionamento pessoal com Jesus, e tinha razão. Foi assim que, há três anos, meu pastor me conduziu a Cristo.”
Voei de volta para Londres e logo depois falei na Assembléia Keswick no Lake District. Lá relatei esses três testemunhos singulares. No final da série de conferências, quatro pastores idosos vieram à frente e contaram que eles também foram salvos, há 25-30 anos atrás, pela mesma pergunta e por um folheto entregue na rua George em Sydney, na Austrália.
Na semana seguinte viajei para uma igreja semelhante à de Keswick e falei a missionários no Caribe. Também lá contei os mesmos testemunhos. No final da minha palestra, três missionários vieram à frente e explicaram que há 15-25 anos atrás eles igualmente haviam sido salvos pela pergunta e pelo folheto do homenzinho da rua George na distante Austrália.
Minha próxima série de palestras me conduziu a Atlanta, na Geórgia. Fui até lá para falar num encontro de capelães da Marinha. Por três dias fiz palestras a mais de mil capelães de navios. No final, o capelão-mor me convidou para uma refeição. Aproveitando a oportunidade, perguntei como ele havia se tornado cristão.
“Foi um milagre. Eu era marinheiro em um navio de guerra no Pacífico Sul e vivia uma vida desprezível. Fazíamos manobras de treinamento naquela região e renovávamos nossos estoques de suprimentos no porto de Sydney. Ficamos totalmente largados. Em certa ocasião eu estava completamente embriagado e peguei o ônibus errado. Desci na rua George. Ao saltar do ônibus pensei que estava vendo um fantasma quando um homem apareceu na minha frente com um folheto na mão e perguntando: ‘Marinheiro, você está salvo? Se morrer hoje à noite, você vai para o céu?’ O temor de Deus tomou conta de mim imediatamente. Fiquei sóbrio de repente, corri de volta para o navio e fui procurar o capelão. Ele me levou a Cristo. Com sua orientação, logo comecei a me preparar para o ministério. Hoje tenho responsabilidade sobre mais de mil capelães da Marinha, que procuram ganhar almas para Cristo.”
Seis meses depois, viajei a uma conferência reunindo mais de cinco mil missionários no nordeste da Índia. No final, o diretor da missão me levou para comer uma refeição simples em sua humilde e pequena casa. Também perguntei a ele como tinha deixado de ser hindu para tornar-se cristão.
“Cresci numa posição muito privilegiada. Viajei pelo mundo como representante diplomático da Índia. Sou muito feliz pelo perdão dos meus pecados, lavados pelo sangue de Jesus. Ficaria muito envergonhado se descobrissem tudo o que aprontei naquela época. Por um tempo, o serviço diplomático me conduziu a Sydney. Lá fiz algumas compras e estava levando pacotes com brinquedos e roupas para meus filhos. Eu descia a rua George quando um senhor bem-educado, grisalho e baixinho chegou perto de mim, entregou-me um folheto e me fez uma pergunta muito pessoal: ‘Desculpe-me, mas o senhor é salvo? Se morrer hoje, vai para o céu?’ Agradeci na hora, mas fiquei remoendo esse assunto dentro de mim. De volta a minha cidade, fui procurar um sacerdote hindu. Ele não conseguiu me ajudar mas me aconselhou a satisfazer minha curiosidade junto a um missionário na Missão que ficava no fim da rua. Foi um bom conselho, pois nesse dia o missionário me conduziu a Cristo. Larguei o hinduismo imediatamente e comecei a me preparar para o trabalho missionário. Saí do serviço diplomático e hoje, pela graça de Deus, tenho responsabilidade sobre todos esses missionários que, juntos, já conduziram mais de 100.000 pessoas a Cristo.”
Oito meses depois fui pregar em Sydney. Perguntei ao pastor batista que me convidara se ele conhecia um homem pequeno, de cabelos brancos, que costumava distribuir folhetos na rua George. Ele confirmou: “Sim, eu o conheço, seu nome é Mr. Genor, mas não creio que ele ainda faça esse trabalho, pois já está bem velho e fraco.” Dois dias depois fomos procurar por ele em sua pequena moradia. Batemos na porta e um homenzinho pequeno, frágil e muito idoso nos saudou. Mr. Genor pediu que entrássemos e preparou um chá para nós. Ele estava tão debilitado e suas mãos tremiam tanto que continuamente derramava chá no pires. Contei-lhe todos os testemunhos que ouvira a seu respeito nos últimos três anos. As lágrimas começaram a rolar pela sua face, e então ele nos relatou sua história:
“Eu era marinheiro em um navio de guerra australiano. Vivia uma vida condenável. Durante uma crise entrei em colapso. Um dos meus colegas marinheiros, que eu havia incomodado muito, não me deixou sozinho nessa hora e ajudou a me levantar. Conduziu-me a Cristo, e minha vida mudou radicalmente de um dia para outro. Fiquei tão grato a Deus que prometi dar um testemunho simples de Jesus a pelo menos dez pessoas por dia. Quando Deus restaurou minhas forças, comecei a colocar meu plano em prática. Muitas vezes ficava doente e não conseguia cumprir minha promessa, mas assim que eu melhorava, recuperava o tempo perdido. Depois que me aposentei, escolhi para o meu propósito um lugar na rua George, onde centenas de pessoas cruzavam meu caminho diariamente. Algumas vezes as pessoas rejeitavam minha oferta, mas também havia as que recebiam meus folhetos com educação. Há quarenta anos faço isso, mas até o dia de hoje não tinha ouvido falar de alguém que tivesse se voltado para Jesus através do meu trabalho”
Aqui vemos o que é verdadeira dedicação: demonstrar amor e gratidão a Jesus por quarenta anos, sem saber de qualquer resultado positivo. Esse homem simples, pequeno e sem dons especiais deu testemunho de sua fé para mais de 150.000 pessoas. Penso que os frutos do trabalho de Mr. Genor, que Deus mostrou ao pastor londrino, sejam apenas uma fração da ponta de um iceberg.
Só Deus sabe quantas pessoas mais foram ganhas para Cristo através desses folhetos e das palavras desse homem. Mr. Genor, que realizou um enorme trabalho nos campos missionários, faleceu duas semanas depois de nossa visita. Você pode imaginar o galardão que o esperava no céu? Duvido que sua foto tenha aparecido alguma vez em alguma revista cristã. Também duvido que alguém tenha visto uma reportagem ilustrada a seu respeito. Ninguém, a não ser um pequeno grupo de batistas em Sydney, conhecia Mr. Genor, mas eu asseguro que no céu o seu nome é muito conhecido. O céu conhece Mr. Genor, e podemos imaginar vividamente a maravilhosa recepção que ele teve quando entrou por suas portas.
Extraído de http://www.worldmissions.com

segunda-feira, maio 3

VIDEOS E FILMES INSPIRADORES

Maravilhoso este video sobre a história do hino Amazing Grace


Vale à pena assistir - Escritores da Lberdade - simplesmente maravilhoso.
Quer saber do que se trata? Pesquise eheheheh

O CORCOVADO A MUITO TEMPO...

O QUE É UMA IGREJA... E O QUE NÃO É

Recebi este email este início de semana. Gostei imensamente e estou passando prá frente. Leia e coloque em prática. Certamente vai ser uma bênção para a sua vida e para a vida em comum da sua igreja.

PRA LER NO DOMINGO
SHALOM.


Rev. Ms. Manoel Peres Sobrinho
http://www.dominiopublico.gov.br/

03 – O QUE É UMA IGREJA... E O QUE NÃO

Na introdução, perguntei o que você procura em uma igreja e o que a Bíblia diz a respeito de como deve ser a igreja, mas não respondi essas perguntas. E os cristãos de hoje estão buscando todo tipo de coisas em uma igreja.

Lembro-me de uma conversa que tive durante meus anos de estudo na faculdade. Conversei com um amigo que trabalhava para um ministério cristão que não era ligado a qualquer igreja. Ele e eu freqüentamos a mesma igreja durante alguns anos. No entanto, tornei-me membro da igreja, mas o meu amigo não. De fato, ele ia somente aos cultos matinais de domingo e entrava quietamente na metade do culto, em tempo para ouvir o sermão.

Um dia, resolvi questioná-lo a respeito de sua freqüência parcial. Ele respondeu: “Não obtenho nada do restante do culto”.
Perguntei-lhe: você já pensou em unir-se à igreja?
Ele pareceu verdadeiramente surpreso com a pergunta. E respondeu: “Unir-me à igreja?” Sinceramente, não sei por que eu faria isso. Sei por que estou aqui; e aquelas pessoas me tornariam menos ativo”.

Até onde percebi, ele não falou essas palavras com desdém, e sim com um zelo autêntico de um evangelista talentoso que não desejava desperdiçar uma hora do tempo do Senhor. Expressou alguns de seus pensamentos sobre o que procurava em uma igreja. E, levando tudo em conta, não se envolveria com outros membros da igreja, pelo menos não daquela igreja. Ele queria um lugar em que poderia ouvir uma boa pregação da Palavra de Deus e obter seu estímulo espiritual para a semana.
No entanto, suas palavras repercutiram em minha mente - “aquelas pessoas me tornariam menos ativo”. Havia muitas coisas que eu gostaria de ter dito, mas tudo que lhe respondi foi: você nunca pensou que, unindo-se àquelas pessoas, sim, elas poderão torná-lo menos ativo, mas voce pode ajudá-las a serem mais dinâmicas? Nunca considerou que isso poder ser parte do plano de Deus para voce e para elas?

Eu também queria uma igreja em que poderia ouvir uma boa pregação a cada domingo. Todavia, as palavras “corpo de Cristo” significam mais do que isso, não significam?
Conforme mencionei no Capítulo 1, a igreja não é um lugar. Não é um prédio. Não é um ponto de pregação. Não é um provedor de serviços espirituais. É um povo – o povo da nova aliança, comprados por sangue, o povo de Deus. Essa foi a razão por que Paulo disse: “Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” Efésios 5:25. Ele não se entregou por um lugar, e sim por um povo. Essa é a razão por que a igreja em que ministro começa suas reuniões matinais de domingo dizendo: “Sejam bem-vindos a esta reunião da Igreja Presbiteriana de vila Fiori”, e não: “Sejam bem-vindos à Igreja Presbiteriana de Vila Fiori”. Somos um povo que se reúne. Sim, isso é algo trivial, mas estamos tentando ressaltar uma realidade mais importante até mesmo nas palavras que usamos para dar boas-vindas às pessoas.

Recordar que a igreja é um povo deve ajudar-nos a reconhecer o que é e o que não é importante. Sei que preciso de ajuda. Por exemplo, tenho a tentação de permitir que algo como o estilo de música determina o que eu penso a respeito de uma igreja. Afinal de contas, o estilo de música que uma igreja usa é uma das primeiras coisas que observaremos em qualquer congregação. E tendemos a reagir à música em um nível bastante emocional. A música faz com que nos sintamos de determinada maneira. Contudo, o que expressarei a respeito de meu amor por Cristo e seu povo, se eu deixar uma igreja por causa do seu estilo de música? Ou se, pastoreando uma igreja, eu marginalizar a maioria dos membros por pensar que seu estilo de música precisa ser atualizado? No mínimo, poderíamos dizer que esqueci o fato de que a igreja é, em essência, um povo e não um lugar.

Ao mesmo tempo, a Bíblia ensina que os cristãos devem ser bastante cuidadosos quanto ao que acontece na igreja – o que ela faz. Na verdade, a última metade deste livro dedica-se a essa questão. Como mantemos essas duas coisas em equilíbrio – preocupar-nos com as pessoas e preocupar-nos com o que elas fazem. Se este fosse um livro a respeito de criar famílias cristãs, falaríamos sobre fazer certas coisas: jantar juntos, ler as Escrituras juntos, rir juntos, orar uns pelos outros e assim por diante. Mas, durante a conversa sobre o assunto, todos lembrariam que os pais cometem erros e as crianças são crianças. A família não é apenas uma instituição; é um grupo de pessoas.

Isso também é verdade a respeito da igreja. A sua igreja falha em atender suas expectativas em termos do que ela faz, bem como em seguir ou não o que a Bíblia diz sobre a liderança eclesiástica (um assunto que abordarei adiante) Se isso está acontecendo, lembre-se de que ela é um grupo de pessoas que está crescendo na graça.

Ame essas pessoas. Sirva-as. Tenha paciência para com elas. Pense novamente em uma família. Se seus pais, irmãos ou filhos fracassaram em satisfazer suas expectativas, vocês os expulsa repentinamente? Espero que os perdoe e lhes demonstre paciência. Talvez pare e considere se as suas expectativas não devem ser ajustadas! Por isso mesmo, deveríamos perguntar-nos se sabemos como amar e perseverar como membros de igreja que têm opiniões diferentes, que falharam em satisfazer as nossas expectativas ou pecam contra nós (Você e eu não temos pecados que necessitam ser perdoados?)

É claro que existe um limite. Há algumas igrejas com as quais você não desejaria unir-se, pastorear ou permanecer como membro. Retornaremos a esse assunto na seção em que falaremos sobre as marcas essenciais de uma igreja. Por enquanto, o princípio permanece o mesmo: a igreja é um povo. E, independentemente do que procuramos ou digamos sobre o que deve ser uma igreja, tudo tem de ser guiado por esse princípio básico e bíblico.

Quero dizer mais uma coisa que pode guardar-nos de uma maneira equivocada de pensar sobre a igreja, uma maneira de pensar especialmente comum entre os pastores. A igreja não é um lugar; tampouco, uma estatística. A igreja é um povo. É um corpo, unido a Cristo, que é a cabeça. É uma família, unida por adoração por meio de Cristo.

Peço a Deus que você, cristão, experiente ou novo na fé, reconheça cada vez mais seu dever de amar, servir, encorajar e ser responsável pelo resto da família de sua igreja. No que diz respeito aos seus irmãos naturais, creio que você já reconheceu onde Caim errou, quando disse sarcasticamente o Senhor: “Acaso, sou eu tutor de meu irmão?” Contudo, espero muito mais que voce reconheça, se ainda não a reconheceu, sua mais elevada responsabilidade para com as irmãs e os irmãos da família de sua igreja. Marcos 3:32-35


TEXTO PARA DISCUSSÃO
O QUE É UMA IGREJA... E O QUE NÃO É

Mark Dever, Editora Fiel, pp. 29-33

domingo, maio 2

PÉROLAS EM FORMA DE FRASE ...

Há ocasiões em que o silêncio é ouro, mas há outros em que é pura covardia.
J. Blanchard

É possível dar sem amor, mas é impossível amar sem dar
Richard Braunstein

Há três espécies de contribuição: com ressentimento, por dever e com ações de graça. A
contribuição com ressentimento diz: "Tenho de fazê-lo"; a contribuição por dever diz: "Devo fazê-lo"; a contribuição com ações de graças diz: "Quero fazê-lo".
Robert Rodenmayer

A depravação é o grande obstáculo à fé, mas... a graça é a maneira pela qual Deus supera esse obstáculo.
Malcolm Watts

É impossível que entre em desespero o homem que lembra que seu Ajudador é onipotente.
Jeremy Taylor

CURIOSIDADE ...

Quem já ouviu falar de um marxista que no leito de morte tenha pedido que lhe fosse lido O Capital?
Stephen Travis

PENSE NISSO

A ciência pode acrescentar anos à sua vida, mas só Cristo pode acrescentar vida a seus
anos.
Anônimo

A ciência não pode resolver os problemas morais do homem.
Carl Gustav Jung

Ela pode fazer coisas incríveis, mas não pode apagar as manchas deixadas pelo pecado, e nem tornar puro o coração dos homens.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FIQUE POR DENTRO